PÉ-DIREITO DUPLO: RECURSO QUE ENGRANDECE OBRAS

Considerado uma tendência, o recurso do pé-direito duplo na verdade é bem antigo. Confira a seleção de projetos que utilizam dele por conforto térmico, simples capricho ou sensação de amplitude

Sexta, 11 de março de 2016

Alguns dos artifícios arquitetônicos usados na contemporaneidade foram criados há bastante tempo. Um deles é o pé-direito duplo, recurso que faz parte da história e esteve presente em grandes obras da arquitetura, como as catedrais do século XVIII. Inicialmente, eram utilizados como marcações de ambientes, separando o hall de entrada de casas e prédios comerciais do restante do projeto. Nas décadas de 1940 e 1950, seu uso em residências aumentou. Hoje, além de serem construídos com o intuito de se criar halls, também são usados para a construção de um ambiente social mais moderno e espaçoso. 

Reunimos alguns projetos nos quais as fachadas em linha reta fizeram toda a diferença. Clique no link e confira: http://www.anualdesign.com.br/blog/10617/fachadas-em-linha-reta/

CASA DOS UMBUS 

As arquitetas Arytana e Ticiana Stefenoni Tartuce valorizaram o living com um pé-direito duplo. Os vasos pendurados e a iluminação no forro são essenciais para finalizar a moderna composição.

Conversamos com o arquiteto e urbanista Manoel Balbino, um dos sócios do escritório Arq-Urb, e ele define pé-direito como a medida interna de piso a teto, não importando se em cima existe uma laje, um telhado ou um segundo piso. Suas dimensões variam entre 2,5 e 3 metros de altura. Baseado nisso, conseguimos entender o conceito de pé-direito duplo, solução arquitetônica interessante que possui suas peculiaridades. A primeira delas – e talvez uma das mais marcantes – é sua altura, que necessariamente ultrapassa os 5 metros. Este fato acrescenta algumas características aos projetos.

A fachada imponente deste projeto, de autoria da arquiteta e urbanista Elaine Saliba, aliada ao fechamento de vidro lateral, adicionam requinte ao pé-direito duplo da construção.

Com as paredes e teto mais altos, um vão é criado no ambiente e, com isso, a sensação de amplitude invade o cômodo, e a quantidade de luz natural disponível dobra. Em regiões mais quentes, a questão térmica pode ser trabalhada com mais facilidade e de forma mais natural. Nesses locais, o ar quente é o grande responsável pelo aumento da temperatura, pois sobe para a parte mais alta do ambiente. Quando a parte superior é maior, caso dos pés-direitos duplos, e aliada a uma boa ventilação, o ganho é quase instantâneo e torna o lugar mais fresco. Isso acontece porque a distância desse ar quente fica maior, diminuindo a incidência de sua temperatura no ambiente. “São necessárias outras características para amenizar o clima interno. A isolação é uma delas, e a circulação de ar outra. O cômodo ganha muito mais se existir uma sombra natural para ajudar a resfriar o ar”, ressalta Balbino. Mas um alerta: em regiões com a temperatura mais fria, a solução pode instensificar o resfriamento do clima, criando um espaço ainda mais gelado. É essencial discutir todos os pontos do projeto com um profissional, para então encontrar alternativas que ajudem na resolução do problema.


O ambiente moderno é integrado com um mezanino com guarda-corpos de vidro. O pé-direito duplo é ressaltado pela decoração leve, que cria uma atmosfera clara. O projeto é assinado pela arquiteta e urbanista Isabel Jácomo.

Os pés-direitos duplos são mais valorizados pelo mercado imobiliário, influenciando consideravelmente o preço final de alguns imóveis. Neste tipo de construção, os ambientes passam a transmitir sensações de imensidão, liberdade e grandeza. O que agrega valor, também, são os custos de edificação, semelhantes à obras de um segundo piso, o que também pede uma primordial preocupação com a estrutura. “A única coisa que o pé-direito duplo não tem é o piso, e seu custo pode chegar ao dobro do pé-direito normal”, alerta o arquiteto.

CASA DE CONDOMÍNIO

O gêneroso living deste projeto da arquiteta Luciana Pena engloba estar, jantar e o bar. A profissional utilizou cores neutras para o teto, o piso e o sofá maior. Os tons dialogam com o estilo moderno da residência. O lustre acrescenta sofisticação à composição e o espaço abaixo da escada foi muito bem aproveitado com o móvel do bar, em madeira. O guarda-corpos do mezanino, em vidro, dá confere leveza e modernidade ao ambiente.

Quando a obra prevê um mezanino é preciso, necessariamente, calcular a carga futura, ou seja, o peso que essa composição suportará. Nesta medida já devem estar contabilizados móveis e estruturas que ocuparão aquele espaço, bem como o peso médio das pessoas que habitarão o cômodo. Alguns projetos não contemplam essa previsão e, mais à frente, optam pela construção do mezanino. Este é o caso de várias lojas, principalmente, que utilizam o artifício para criar estoques. Uma solução para não comprometer as vigas de sustentação é a construção de pilares, com o objetivo de descarregar o peso dessa estrutura no chão.


Neste projeto da arquiteta e urbanista Kerley Melo, o pé-direito duplo de cinco metros de altura convida o imponente lustre utilizado na decoração. A leveza do ambiente fica por conta da mesa de vidro e das cores claras da composição.

Quando desenhados com ventilação cruzada, os projetos utilizam a natureza como alternativa sustentável a sistemas de aquecimentos ou ar condicionado. Utilizar as correntes de ventos em seus sentidos naturais permite que o ar entre e saia com facilidade da casa e que haja higienização do ambiente, devido à troca de ares.

CAFÉ DE LA MUSIQUE 

Neste ousado projeto de Leo Romano, o pé-direito duplo do dining club propicia uma decoração estonteante. O teto alto dá suporte aos ripados de caixeta, cordas de sisal e um boiserie laqueado em nanquim, imprimindo sofisticação e elegância ao espaço.

Embora guarde um peso estético estonteante, e que tenha inúmeros benefícios, o pé-direito duplo tem algumas características que, dependendo do projeto, não são muito bem-vindas. Numa residência construída com o recurso e um mezanino, os ambientes interferem no conforto sonoro um do outro. Isso se dá pela reverberação do som. Neste sentido, existe também a possibilidade de eco e de pouco (ou nenhum) isolamento acústico nos ambientes íntimos. Esses problemas podem ser amenizados com materiais que cobrem as paredes, como tecidos, cortinas de pano e forros de gesso.
 
APARTAMENTO SOFISTICADO

Esse living com pé-direito duplo conectado à varanda foi eleito o ponto alto do projeto pelos proprietários e pelas responsáveis pela criação dele, as designers de interiores Maria Célia Moraes e Wanessa Clara. A pastilha de madeira e papel de parede emprestam charme ao ambiente. As longas cortinas dão um toque especial à composição.

Existe uma corrente atual que alega que o pé-direito duplo faz com que os projetos percam em metragem construída, atuando então como um agente limitador. Manoel Balbino é contundente sobre essa afirmação. “Não se pode contabilizar a dimensão de um projeto levando em consideração apenas um elemento dele, pois o conforto não é designado por uma só característica, e sim pelo conjunto delas”.

CASA ALDEIA DO VALE

A designer Sonia Prado e sua equipe fizeram um trabalho espetacular neste projeto. Foram construídos 900 metros em três andares. Nesta sala de estar, o pé-direito duplo transmite sensação de amplitude. Temos conexão com o mezanino, em degraus de mármore preto e guarda-corpos de inox e vidro.  A mistura de estilos imprime muita personalidade ao ambiente.

Confira mais alguns projetos que a Anual Design separou e veja como este recurso é versátil e empresta muita personalidade às obras.
 
TOCA DOS COELHOS

Os arquitetos Adriana Mundim e Fernando R. Galvão fizeram um impressionante trabalho. O pendente e a iluminação dão um ar aconchegante ao espaço. A abertura do pé-direito duplo da sala de estar é totalmente livre de pilares e o jardim-de-inverno com a parede de pedra bruta de Pirenópolis é um dos charmes do ambiente.

CASA ALTA

O projeto da arquiteta e urbanista Cynara de Siqueira faz uma integração de ambientes exatamente como o cliente requisitou. Nesta sala de estar, o pé-direito duplo permite uma sensação de liberdade, estando ainda conectada à varanda e aohome. Os itens coloridos constrastam com a textura da fibra das poltronas e da mesa de centro.

RESIDÊNCIA ALPHAVILLE IPÊS

Neste projeto de interiores, a designer Fátima Lima fez uma união incrível entre natureza e elementos naturais. A profissional tirou proveito da ventilação cruzada e da orientação solar. O ambiente com pé-direito duplo, repleto de plantas, tornou-se aconchegante e exatamente o que a família buscava.

CASA SOFISTICADA

Este estonteante projeto de Giovanni Borges mescla elementos rústicos com uma decisão mais limpa de decoração. Nesta sala de estar, o pé-direito duplo é valorizado pela imensa parede de vidro que conecta o ambiente à sala de jantar.

SOBRADO ALPHAVILLE GOIÁS

Neste projeto da arquiteta e urbanista Kerley Melo, a elegância das cores pastéis dão charme ao estar e valorizam o pé-direito duplo do ambiente. O mezanino possui guarda-corpos de vidro e funciona como corredor. A iluminação é outro ponto que ressalta ainda mais a decoração.

CASA DO BOI

Este projeto de Leo Romano é baseado na ideia de se estreitar a relação entre homem e natureza. E o faz de forma majestosa. Além da ocupação inteligente dos vãos e incrível vista, o pé-direito duplo torna o ambiente ainda mais aconchegante por conta da sóbria decoração. Elementos rústicos são misturados a outros modernos, como o guarda-corpos em vidro e inox da escada e mezanino.

CASA NMA

O arquiteto Marcos Queiroz foi muito feliz nas escolhas que fez para este projeto. O pano de vidro que permite a vista do jardim e o mobiliário claro e composição harmônica e simétrica, valorizam o pé-direito duplo. As obras na parede, a iluminação e os tapetes tornam o lugar ainda mais aconchegante.

CASA COLIBRI

O pé-direito duplo deste audacioso projeto de Pedro Ernesto Gualberto e Leandra Castro é muito valorizado com a parede em pedra-ferro. A decoração, que mescla elementos contemporâneos a tons neutros, tem um ar clássico.

CASA BOA VISTA

No living e na sala de jantar do projeto da arquiteta e urbanista Andressa Lima, predominam os tons off-white no mobiliário e na decoração. As cortinas realçam ainda mais o ambiente suntuoso propiciado pelo pé-direito duplo.

CASA EM CONDOMÍNIO

O projeto da designer de interiores Maria Lenise fez a residência de uma família adquirir estilo próprio e diferenciado. Recheada de objetos de decoração do acervo familiar, o espaço é cheio de referências. No living, o pé-direito é valorizado com uma série de porta-retratos. O mezanino possui guarda-corpos em vidro e degraus de madeira suspensos.

RESIDÊNCIA MEDANHA

Este projeto leva a assinatura do escritório de arquitetura do designer Nando Nunes. A residência possui pé-direito duplo e o mezanino serve de corredor para os cômodos superiores, com guarda-corpos de vidro e modernos, além de escadaria em gesso e suspensa.

RESIDÊNCIA EM CONDOMÍNIO FECHADO

A arquiteta Priscila Rassi é responsável pelos projetos de arquitetura e de interiores desta residência. O living tem pé-direito duplo e se comunica com a sala de jantar, com o home theater e a varanda. O fechamento em amplos panos de vidro possibilita farta entrada de luz natural, o que aumenta ainda mais a sensação de amplitude no ambiente.



Gostou da matéria?  Inspirador né? Conheça nosso novo artigo "O poder do pé direito duplo", clique aqui - http://www.anualdesign.com.br/blog/11229/o-poder-do-pe-direito-duplo/


COMENTÁRIOS

Neolivan 29/12/2015 14h40

Lindos os projetos, parabéns Tenho o desejo de fazer uma casa de praia com sala destes modelos e dois dormitórios na parte superior e um na parte inferior. Se puderem me dar uma dica agradeço. Terreno 13 x 32 Mais uma vez parabéns pelos projetos

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.