RENZO PIANO

O fantástico escritório do renomado arquiteto italiano inspira profissionais e visitantes, instalado na costa italiana.

Domingo, 17 de março de 2013
O escritório do arquiteto italiano Renzo Piano, em Gênova, Itália, serve de exemplo para os arquitetos que não dão atenção especial ao local de trabalho, ao qual vão todos os dias para projetar sonhos e realizar desejos. Renzo, arquiteto que tem em seu currículo desde o prêmio Pritzker a obras icônicas, como o Centre Georges Pompidou, em Paris, o Parco della Musica Auditorium, em Roma, a Maison Hermès de Tóquio, a nova sede do The New York Times, a Biblioteca e Ópera Nacionais da Grécia e o Kansai International Airport Terminal, em Osaka, empregou o mesmo capricho e requinte presente em suas obras no seu Renzo Piano Building Workshop (RPBW).



O cenário escolhido dificilmente poderia ser mais belo: a região costeira da Ligúria, Itália. Em uma colina de Punta Nave em frente ao oceano, o ganhador do prêmio Pritzker de arquitetura em 1998 construiu o escritório como se fosse uma estufa de vidro, com plantas crescendo dentro e fora do edifício, o que facilita o surgimento de soluções arquitetônicas eficientes e até mesmo inovadoras.



Mesmo sendo uma obra de cerca de vinte anos atrás, o RPBW ainda impressiona por ser um espaço que favorece a calma, a concentração e a criatividade. A equipe de Renzo, composta por cerca de 100 arquitetos, engenheiros e outros especialistas, trabalha em perfeita harmonia com a natureza em seu entorno.
O complexo é formado por um conjunto de inclinados terraços de vidro com madeira laminada que se abrem para o Mediterrâneo. O aproveitamento da luz natural foi pensado como outro ingrediente especial no projeto do escritório: ela entra em todos os ambientes e funciona como relógio natural para os profissionais que trabalham no interior do edifício.



Mesmo deliberadamente afastada de centros urbanos movimentados, o escritório em Punta Nave não se desligou do "mundo real" graças às novas tecnologias, sempre presentes nos projetos de Renzo. Também chamado de centro de pesquisa de pós-urbano, o RPBW foi construído com colaboração da UNESCO, para que fossem realizadas no local pesquisas sobre como fibras de plantas podem ser utilizadas na arquitetura. Os terrenos que cercam o prédio são aproveitados por cientistas da organização para o plantio de bambu, cana e agave, usados nas pesquisas.



Renzo Piano e seus profissionais fascinam pessoas pelo mundo afora com projetos arquitetônicos audaciosos e originais. As ideias são muitas e o trabalho para torná-las realidade é maior ainda. Mas fazer estas atividades em escritórios como o Renzo Piano Building Workshop é, com certeza, mais inspirador e agradável. Talvez, seja até mais fácil. 

COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.