Escola Spectaculu

Sob o comando de Gringo Cardia e Marisa Orth, projeto busca profissionalizar jovens por meio da arte

Quinta, 31 de agosto de 2017
Uma escola voltada para a técnica que está por trás dos espetáculos, envolvendo jovens carentes com arte e tecnologia. Esta é uma forma de resumir o trabalho realizado na Escola Spectaculu, projeto social encabeçado pelo cenógrafo Gringo Cardia e a atriz Marisa Orth, no Rio de Janeiro, há 18 anos. A instituição apoia jovens oriundos da rede pública de ensino e moradores de regiões de vulnerabilidade social do Grande Rio.



Buscando abrir as portas do conhecimento e oferecer uma possibilidade real de empregabilidade, a escola tem como missão a inserção destes jovens no mundo dos espetáculos, cujo mercado de trabalho é muito carente de mão de obra especializada. Atualmente, a Spectaculu oferece 80 vagas para os cursos de Beleza, Contrarregragem & Camarim, Fotografia, Iluminação Cênica e Montagem de Cenários.



A escola é uma iniciativa da sociedade civil com o intuito de auxiliar a região metropolitana do Rio de Janeiro e seus jovens a enfrentarem dificuldades sociais e econômicas. Os alunos recebem duas refeições diárias, material para aulas e uma bolsa-auxílio de R$200,00 para os custos com deslocamento via transporte público. Cerca de 150 alunos em vulnerabilidade social passam pela escola anualmente. 



Fundada em 1999 pelo cenógrafo Gringo Cardia e pela atriz Marisa Orth, a Spectaculu conta com o apoio da classe artística e tem três importantes colaboradores na direção de suas atividades: o artista plástico Vik Muniz, a diretora de projetos especiais de moda e arte Malu Barretto e o diretor de arte Giovanni Bianco. “Nós vamos formar uma nova geração de jovens cheios de energia que não sabem o que querem do mundo porque não apresentaram a eles. E aqui eles podem encontrar nessa escola”, diz Cardia.



Crowdfunding

Em tempos de crise, a Spectaculu realiza uma campanha de financiamento coletivo para custear parte de suas atividades. A crise econômica fez com que a instituição, assim como muitos projetos sociais do país, perdesse apoios financeiros. “A crise teve um impacto grande na duração dos nossos cursos”, explica o coordenador pedagógico Rogério José de Souza. A escola precisou começar as aulas um pouco mais tarde, diminuir o número de vagas oferecidas e o cardápio de opções de formação para os jovens que vêm de toda a região metropolitana do Rio para aprender uma profissão técnica nas áreas dos espetáculos.



Através das doações, a escola espera continuar até o fim do ano com o trabalho que tem transformado a realidade da juventude das periferias do Rio há quase duas décadas. “Depois da Spectaculu, a minha vida ficou maravilhosa. Até a minha autoestima mudou. Abriu a minha cabeça”, conta a aluna de Beleza Larissa dos Santos, de 18 anos. Para ela, as dificuldades são também oportunidades de aprendizado. “Isso ensina a crescer”, resume.



As pessoas têm o interesse de ajudar, mas muitas vezes não encontram projetos com os quais se identificam e na maioria dos casos por não saber de imediato o que fazer para contribuir. Dada a importância e a beleza do trabalho realizado na Escola Spectaculu, porque não começar agora? Se você gostaria de ajudar de alguma forma, todas as contribuições para o financiamento coletivo da Escola Spectaculu podem ser feitas diretamente no site da Benfeitoria: www.benfeitoria.com/escolaspectaculu.

COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.